Vida em uma casa de vidro


Puxo do bolso o celular

Subo o screen, alguns toques no t0uch e 

E ninguém…

Abro uma rede social

Por conta de uma grave doença – ciúme – perdi grandes amigos.

E meus melhores amigos sempre foram mulheres.

E me afastaram de todos eles

Porque deveria girar em torno

Meu bisexo no resguardo empudorado

Porque girava em torno de algo

Obedecer as estações e fase

Equinócios

Não era nada…

Não era uma luz

Apagaram minha luz própria

Porque cheguei no meio de um caminho

Porque sou um andarilho

Porque era um estepe.

Furado, guardado como uma boia salva vida

Boia de apoio de uma vida frustrads

De uma vida que já foi perdida

Assistindo requartos e requadros de um amor interrompido

Vivendo uma vida na gaiola

Sem vida. Sem amor.

Uma possessão.
E todas as pessoas

Sim, todas essas tolas pessoas 

Querem sentir

Todas essas pessoas

Comentam coisas bobas, uteis para sí

Curtem e compartilham

Uteis que nada dizem de tí

De mim. Ou interagem para outros

E ineficazes contra o sentimento de pepsi

E sempre volto sozinho.

Foge até mesmo o louco de um carente

E com ele, fica melhor um copo

Que é a única coisa que acompanha um carente

Mais 

Do que um falso amor.E eu não quero morrer antes de ME ENCONTRAR de novo!

Anúncios

~ por Água para Plantas em março 4, 2017.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: