Gratidão – Palavra chave para gentileza


Algo move e tem força nas palavras, não sabemos e nem entendemos o quanto, mas algo realmente move esse tipo de atitude ou admiração que as palavras podem promover, mas começo a achar estranho, porque não é a primeira vez que isso acontece comigo, o meu blog está sempre em tópicos de chaves de busca como “Cura para o suicídio” ou “Como lidar com suicídio”.

Frases diversas apareciam como tópicos, das mais estranhas, mas de repente uma incidência dessas que vem acontecendo com mais freqüência,  mas essa frase:  eu sou rebeca… Me impressionou um pouco por querer saber quem é essa pessoa que joga praticamente um pedido de ajuda no Google. Na verdade, esse tópico me deu arrepios…

O que levaria uma pessoa em desespero procurar ajuda dessa forma sublinhada em vermelho?

Tenho medo disso, porque nem mesmo tenho as repostas, e quando elas aparecem, eu sempre as coloco aqui, mas não sou um profissional, já tive dezenas e até centenas de vezes o pensamento suicida em minha cabeça, mas realmente eu não tenho nenhum tipo de reposta e nem sei como ajudar, só sei que a incidência é muito grande e vejo que cada vez mais o askhmet – um tipo de firewall que bloqueia comentários anônimos – tem bloqueado cada vez mais comentários anônimos. Fico me perguntando se desativo ou não o Firewall… Sei lá, não sei se desativo ou não…

Não sou nem um pouco perfeito. Não sou um exemplo de paz. Posso até, em remotas hipóteses, ser exemplo de busca de equilíbrio, mas contudo, nem disso me valho.

Bom, o que eu tenho a dizer a pessoas que tem algum tipo de problema desse tipo é: Não se isolem, o isolamento é extremamente prejudicial a esse tipo de patologia.  A melhor forma de curar uma depressão é procurando ajuda e a melhor é a ajuda médica, acompanhada é claro, pela espiritual, que poderá lhe indicar as melhores formas para tratamento, que como eu, tenho apenas que tomar uma pílula por dia, que não me impede de fazer nada, eu posso fazer tudo, beber, dirigir, fumar… Enfim, mas se as minhas palavras e passagens tem trazido algum tipo de alento a quem lê, que bom, que leiam, mas não sou são, estou na mesma busca que vocês para esse desespero que realmente tira o ânimo, bom, se verem do meu primeiro post até agora, eu apresentei algumas melhoras, mas ainda me resta períodos de descidas e subidas de ânimo muito bruscas.

E a espiritual vai lhe dizer o quanto você é importante e o quanto é útil, e que não foi somente criado(a) por um acaso big-bang, somos feitos de uma perfeita elaboração e fazemos parte de um todo que procura a fé para alcançar o Maior, que é Deus.

Mas, confiem em sí mesmos e descubram-se o quanto antes. Essa é a melhor forma para solucionar qualquer tipo de problema, que o inicial é saber quem é. Eu ainda não sei, mas consegui “fazer o meu download” e estou com quase 42% do programa baixado.

Só fiz esse post pra agradecer o grande número de visitas que tive. Mas a frase de “Rebeca” me fez pensar e escrevi um pouco, mas ainda sim, muito obrigado por me lerem e me sinto lisonjeado, e, em pensar,  que há dez anos , eu,  um artífice de obras e depois um almoxarife pudesse ter algum respeito em sua escrita, já faz parte de um milagre – que pra mim, milagre significa transformação.

Estive em um fosso, trabalhando em um galpão com ratos e sujeira. Trabalhava duro, fazendo serviços de pedreiro e não tinha mais nenhuma esperança de ser um escritor, porque a idéia de jornalista já tinha ido embora há muito tempo. Mudei a minha vida quando me conheci, quando vi que o meu poder de superação poderia ser muito maior que as circunstâncias que me cercavam. Eu era maior, muito maior que meus problemas. E se os colocasse em posição maior do que meu eu? Me perderia sendo os meus problemas.

Antes de qualquer coisa, gostaria de agradecer pela admiração – que é mútua – ao meu grande amigo, André Gustavo, que carinhosamente teceu um elogio que me fez acreditar que um ano e meio escrevendo neste tipo de mídia iriam me fazer ou trazer algum tipo de fruto. Engraçado que hoje, visitou uma antiga amiga minha ao meu setor, uma senhora que tinha trabalhado comigo e que se aposentou, como ela me achou, não sei, mas o que mais me alegrou foi o que ela me disse: Quando você falou de Jesus pra mim, a minha vida mudou. Mas estranho, nunca falei própriamente de Jesus pra ela! Como isso aconteceu?! Logo eu, que xingo, fumo, bebo pra caramba isso pode ter acontecido? E outra, vá pra puta que pariu quem achar que aqui é um blog evangélico, a minha preocupação é passar as coisas que eu aprendi e como vou repetir lá embaixo o intuito da minha escrita “aqui”.

Foi tão estranho isso! Caramba, eu recebo um elogio tão rasgado, com tantas pessoas curtindo e meu ego como um balão e de repente mais um! Não estou tão acostumado com isso. Como ela disse que eu falei de Jesus se nunca citei um versículo? – Tenho dificuldade em memorizar as coisas, sei de muitas passagens, mas não tenho “aquele texto decorado” que muitos tem.

De repente eu me vi refletindo; em alguma parte da bíblia, diz que no final dos tempos as pessoas procurariam a palavra de Deus e não achariam, mas o que se mais fala é nesse tal livro preto na qual todos os domingos vemos várias pessoas andando debaixo do braço, pra lá e pra cá… Acho, que como um catálogo telefônico, muitas pessoas tentam na bíblia achar o nº do celular de Jesus ou o endereço para estar mais perto dele ou realmente, no meio do embaralho que fazem as “várias visões” do mesmo, encontrar um senso, mas daí, voltam pra casa com o velho livro preto, colocam os ternos nos armários, as bíblias nas estantes e de volta todos voltam ao batente.Todos no mesmo ônibus, atrasados com seus horários querendo xingar o motorista e etc. – inclusive eu às vezes.

Engraçado, nesse blog eu não tenho pretensão nenhuma em falar de Jesus. Todos conhecem a sua história. Já foi feita em desenho, filme, peças… Acho que, às vezes, sou como aquela mulher que enfrentou uma multidão, empurrou muitas pessoas que ficavam em lugares de maior destaque na presença de Jesus para apenas tocar a sua roupa e eu acredito muito nisso, pois o que eu disse a Luzia foram coisas simples, palavras de amor, ou seja, boas palavras, como aquele mesmo sentimento de Jesus teve ao dizer: “Sinto que de mim tiraram virtude, quem me tocou”? Eu apenas “mencionava” coisas que estavam acontecendo e que eram positivas porque não estava nem parcialmente do lado de Jesus, aliás, muito distante até, mas eu apenas “tocava” em seu nome.

Poderoso então é o nome de Jesus, que apenas sendo mencionado, em uma conversa informal, em um ponto de ônibus ou em uma praça pode fazer curas maravilhosas nas pessoas. Às vezes esquecemos e não damos importância que: Se duas ou mais pessoas falarem em meu Nome, ali estarei presente, poxa, se ele está presente em uma conversa de DUAS PESSOAS, então, subestimamos o seu poder quase SEMPRE! Já ví muitas pessoas à procura de unção, sendo que ele pode estar enquanto apenas DUAS pessoas a clamarem!

Voltando a primeira vez em que conheci Luzia:

Luzia estava em uma crise conjugal tremenda. Não se sentia amada nem por ela mesma e tinha perdido até o cuidado e a paciência com os filhos: Tem uma família linda, com um casal de filhos e um marido  – que hoje em dia – lhe assiste em tudo, mas antes, a mulher que outrora vivia há meses atrás andando por um corredor, moribunda, sem nenhum batom no rosto e sem nenhum tipo de vaidade, eu via uma mulher triste. Luzia era uma das funcionárias mais fechadas em meu departamento.

Eu sempre fui meio “ariano” como dizem, eu não batia na porta; eu arrombava e dava um bom dia muito escancarado e escrachado. E isso muitas vezes incomodava a quem não estava bem, mas eu fazia isso porque eu realmente estava vivendo outra vida – tenho muito disso, quando eu estou bem eu quero que todos fiquem, mas quando eu estou mal, eu me isolo e prefiro ficar sozinho lambendo as minhas feridas – Mas não sei porque, eu me incomodava muito com Luzia, um belo dia, eu a vi chorando na copa do escritório onde eu trabalhava.

Eu insisti e ela desabou. Contou sua vida e eu disse apenas:

– Você é uma mulher linda, eu não vou mais falar com você enquanto você não vier no salto pra cá e mostrar pro seu marido que ele tem uma mulher em casa…

No outro dia ela não veio. Mas eu a pertubava todos os dias, até que um dia, ela veio super arrumada, com um vestido de virar pescoços. Daí não perdi a oportunidade, puxei ela pra copa e disse: “Tá gostosona hein? O Maridão vai se resfastelar hoje”… Daí, ela me puxou pelo braço, e falou bem baixinho com vergonha e com os olhos todos marejados…

– Ele ficou com tanto ciúme de me ver assim bonita, que vai me levar pra sair hoje.  – Depois deu uma gargalhada tão gostosa com um misto de emoção, que eu até me emocionei um pouco, cheguei a cuspir um pouco o café que estava bebendo quando ri para ela.

Será que há maior manifestação de Deus quando alguém consegue encontrar o seu amor próprio? Será que aí está a chave para entrar no “amor” de Deus  é também se reconhecer amada por Ele e assim amar o próximo?

Não existe uma verdadeira comunhão com Deus sem amor. Amar sem ser um "Charita" é quase impossível. Não existe amor se não há a Caridade.

Não existe uma verdadeira comunhão com Deus sem amor. Amar sem ser um "Charita" é quase impossível. Não existe amor se não há a Caridade.

É claro que não foi essa reconquista da paixão que a fez ir a uma igreja e passar a congregar para Deus, todos os motivos a qual procuramos o “religare” são íntimos: Procuramos a Deus não pela dor e nem mesmo pelo amor, procuramos a Deus quando não há outra procura, não há mais o que conquistar e nem o que conhecer há não ser voltar a um elo que sempre foi nosso, que sempre teve seu fruto dentro de nós mesmos…

Mas foi um belo dia em que ela me perguntou:

– Poxa Rodrigo, essa sua alegria é que me deixa pra cima. Quantas vezes eu saio de casa chorando e ver você, você sempre me faz uma piada sempre brinca comigo e me faz sentir bem. De onde vem tanta alegria.

Daí eu contei o que eu tinha passado e disse que só poderia ser Deus que me levantava e me dava ânimo todos os dias, pois não tinha mais vontade de viver, mas de repente, quando eu apenas comecei a acreditar – como o homem que só queria tocar as vestes – eu me sentia mais curado, mais são… Daí, ela passou a freqüentar a igreja também, e muitas vezes, ELA que me levantava, me dizia boas palavras.

Não tem jeito, é como Paulo falava mesmo, que na caminhada ajudaríamos uns aos outros até conseguirmos, não um prêmio que é um céu premeditado, com anjos ou como um céu árabe com milhares de virgens. Não acho que a corrida é para um prêmio do tipo, tenho que ser bom e fazer o bem se não vou sofrer eternamente, mas sim para uma limpeza de caráter, uma limpeza tão profunda, que nenhum tipo de influência ou dizer possa me entristecer ou me decepcionar, pois teria a misericórdia de Deus porque fui profundamente moldado por Ele.

Até hoje, as palavras que mais me deixam “pra baixo” são as “palavras de deus”. Muitas pessoas abriram o livro preto, diziam os meus erros com um peso de uma condenação tamanha que eu tinha medo de Deus, as palavras, com certeza, com todo o peso de suas semânticas e metáforas me condenavam, fazendo-me depois amar fortemente ao diabo pela sua permissibilidade – era melhor viver sem a dor da culpa, era melhor mergulhar em uma fossa de enxofre do que sofrer sempre com um dedo “inquestionável”pelas palavras de Deus – manipuladas para termos uma relação com Deus de vassalo e carrasco – Ora, Jesus não chamava os seus próximos de AMIGOS?. Ora, não seria mais esperto usar “palavras inquestionáveis” do que qualquer tipo de outra coisa para te deixar pra baixo? É claro, ninguém abriria o “Livro da Lei” de Crowley para te condenar – pois a astutês satânica é tão esperta que assim diz em um dos tomos “Faça o que tu queres pois é tudo da Lei” – Como um SER que me criou, me deu entendimento e força queria me condenar, enquanto o outro “que supostamente” quer minha destruição, diz para fazer o que eu quiser? A resposta para esse simulacro é simples: Livre Arbítrio: TUDO QUE O HOMEM FAZ É FEITO COM A PERMISSÃO DE DEUS, PORTANTO É LEI, MAS A LEI DIVINA, E NÃO ESSA MEIA VERDADE ACIMA. Teremos a noção do que é bom e mau por nós mesmos, portanto, Deus não quer a condenação e sim a extinção da pena. Deus quer redenção e não condenação, porque a vitória de Deus é certa-  Daniel 7:27 ; Rom 10, Rom 8: 37 a 39  – Entre outros que ressaltam os intuitos de Deus para com todos. O diabo não lida com mentiras completas, mas sim, altera “meias verdades”, sendo que é bem sutil o senso de certo e errado, fazendo questionar a figura de Deus e o seu papel em nossas vidas e almas.

Por isso, em uma certa parte, dizia Paulo, que cabe a cada um julgar a si mesmo, porque a salvação e a condenação são ambas individuais. O que mais vemos é que os juízes sempre são os mais “condenados”, nem sequer julgados são, pois a evidência de seus erros é tão brutal que chega a ser uma verdade inquestionável.

Quem é intolerante não ama e quem não ama não conheçe a Deus - 1 João 4:8 - Lembra de quando eu falei que as palavras que mais podem derrotar as pessoas podem ser  as "palavras de Deus"? Mas não se esqueçam das meias verdades do diabo, quem colocam Deus como mau e ele como "bom e permissivo". Se Deus não fosse permissivo, não haveria o Livre Arbítrio!

Quem é intolerante não ama e quem não ama não conheçe a Deus - 1 João 4:8 - Lembra de quando eu falei que as palavras que mais podem derrotar as pessoas podem ser as "palavras de Deus"? Mas não se esqueçam das meias verdades do diabo, quem colocam Deus como mau e ele como "bom e permissivo". Se Deus não fosse permissivo, não haveria o Livre Arbítrio!

Sobre esse sujeito acima, que gastou dinheiro com 600 outdoors espalhados pelo estado do Rio de Janeiro inteiro, foi e muito desmascarado em um blog:

http://estrangeira.wordpress.com/2009/08/09/desconstruindo-o-pr-silas-malafaia-quanto-vale-a-sua-fe/

E em um outro, que também é evangélico, fala das consequências de sua intlerância:

http://www.paulopes.com.br/2010/10/malafaia-distribui-no-rio-outdoors-com.html

E o sábio pastor Caio Fábio, rasgando o verbo mesmo:

http://www.youtube.com/watch?v=61JQJiy6HF4&feature=player_embedded#at=63

Deixo que esses sites digam por mim…

Por isso, a primeira coisa que disse a Luzia foi: Melhora o teu astral, depois, outras coisas boas foram acontecendo, até o ponto em que: Ela pode me amar também, porque o seu amor próprio já estava restaurado.

Há uma verdadeira aura de vitória quando conseguimos conquistar algum tipo de opinião, ou agrado. O que um escritor mais quer é ser lido, e o melhor que ser lido, ser aplaudido ou admirado, não esfacelei a minha vida aqui como um “reality show” para ser lido, como um diário de fofocas de uma revista Contigo para ser apreciado, digo isso aos que acham que estou conseguindo pessoas e visitas a este blog por conta de meus relatos pessoais, mas claro que isso não é pra você que me leu, que me comentou, que me fez chorar com sua homenagem dando print screen a cada rolagem do meu blog, digo isso a bafafás, de sentimentos de outros e outros, ecos, assombros… A travessia dos surdos, pessoas com quem me desentendo e acham que assim, sendo “evasivamente eu” eu não poderia comentar ou colocar aqui, também, a minha busca por Deus. Se for preciso “santidade” para buscar a Deus, então pra quê buscá-lo se já és são?

Andy Warhol profetizou que no futuro todos teriam “quinze minutos de fama” e isso se confirma cada vez mais, não pelo aumento da comunicação e pelo aumento de seus recursos, e sim, pela saturação de arte pela mídia e pela sua falta de  – digamos – filtragem e interlocução; “Ninguém compreende a arte enquanto que também para se fazer deve se entender também, por não compreender não há público, por não haver público não há artistas” E por essa saturação, todos tem seus quinze minutos, mas é bom aproveitá-los, pois depois será bem descartado, por haver uma escassez do “sentido”, tudo é descartável – em quinze minutos.

Não queria ter esses quinze minutos. Não é arte.Algumas coisas são, mas não por ser arte, pode ser tornar por causa dessa lei dos quinze minutos. É minha vida e minha busca por soluções e conflitos. Será que faço apenas parte desses quinze minutos ou a minha escrita pode realmente ajudar alguém? Será que isso também pode acontecer com a fé? Não sei, sei que escrevo por necessidade , terapia, e para dar um registro meu a minha filha.

Já disse há alguns posts, que o água seria um documento futuro para Ana Luiza, que diria realmente quem eu sou, pois só consigo ser realmente sincero quando escrevo. Não sou Santo e nem quero ser. Gosto de beber, gosto de festejar, gosto de alegria e confraternizar com meus amigos, mas a grande diferença é que:  Gosto de compartilhar coisas boas que acontecem comigo e as coisas ruins, eu escrevo uma coisa muito louca, uma arquitetura bem diabólica, noir e non sense  pra ilustrar a minha dor. Minha dor, poucos vão saber, pois gosto de passar o que eu aprendo de bom o que é de ruim, guardo PARA fazer a minha limonada.

Beijos André

Que Deus continue abençoando você e sua mãe!

Obrigado por me leram!

Busquem sempre o que é bom. Que vocês também, mesmo errados, ou supostamente “condenados”, não deixem de buscar a Deus.

Notas de escrita: Tive neste dia um desentendimento tão feio, que quase me fez desistir de postar. Ainda erro muito com os outros, de novo, não sou perfeito, falo das coisas que aprendo em minha caminhada. AINDA BUSCO A DEUS  COM INTENSIDADE.

 

Vejam como foi formada a máfia evangélica: http://www.youtube.com/watch?v=rJdbtz_GLD4&feature=related

Anúncios

~ por Água para Plantas em março 27, 2011.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: