Lá vem o verão…

Será que amanhã o sol vai voltar?

A altura do nem sei não vai escapar

Calor arromba porta e me diz sem medo

Que algo repleto de tempo vai voar

E o calor não vai embora

Porque é sempre verão.

Porque é sempre verão?

Há luz no céu. O dia não vai nublar

Nem sequer o frio vai se acumular

Há suor pelas portas, frisos, pessoas…

Vendem-se sorrisos

No bar a bebida come o cheiro, sinto o frio de quarenta graus

Onde mora o mal?

Onde mora o mal?

Ainda é verão

Virão aqueles que não serão nada exceto suor

Correrão pelas areias, quentes, correm veias, rios e guanabaras

O rio é praia e o céu uma saudação

Vindo o quente, corre no ventre o protetor

Não é o céu e nem enchente

É uma fria maré

Um tempo erguido

um céu escolhido

Uma mente sólida

Sua visão sobre o friso

O corpo quer agora o frio

quando corta o seu castigo de ser

verão

Não quero não

quero morte, quero tempo, quero…

um mar sem sereia, um sério risco de ser sombração

um mar sem água, quente e frio

lugar falso metido a paraíso

reflexo não refletido

vem o verão

sem compromisso


Anúncios

~ por Água para Plantas em janeiro 10, 2011.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: