Poesia – Sofá Domingo

Sofá Domingo

 

Será que amanhã o sol vai voltar? – Acordo de novo assim

Não sei, depois de hoje, eu deitado em um sofá tentando ler o jornal, mas mesmo assim, apático com tragédias e noticias

Hecatombe sou eu, aqui só.

Recosto meu rosto para a parte mais macia do sofá

Dou as costas à televisão e apenas sigo o fluxo de minha cabeça a rodopiar

Se tivesse água nos olhos, seria péssimo

Porque não há nada aqui

Seria piegas

É apenas domingo

 

Quero que se foda a camada de ozônio e o aquecimento global

Queria ter você do meu lado

Fazer-me suar no verão sem perder o gelo do ar

A me misturar em desgraças, entre folhas de jornal e dizer que não há mais céu

Inferno ou paraíso

O que existe somos nós

Um sofá domingo

Um dia dormindo

Um dia comendo

Observando a movimentação dos que não podem parar

Passos de tênis, chacoalhar de rodas de carrinhos de bebês

Eu parado olhando você a me olhar

 

A pousar lentamente em inércia olho o branco teto

Espremendo o canto dos olhos

Enxugando os ombros vazios

Entrecruzando minhas pernas

Pra não me sentir sozinho

Anúncios

~ por Água para Plantas em novembro 25, 2009.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: